Serviços Médicos

Miomectomia Histeroscópica

Miomas uterinos - um tumor benigno do tipo que surge da camada muscular uterina. Uma variedade de causas pode provocar o desenvolvimento de uma neoplasia, variando de predisposição hereditária ao aborto e problemas com ciclos menstruais. Mas todos os médicos do mundo chegaram à conclusão de que a principal razão para o desenvolvimento do crescimento benigno no útero é a instabilidade hormonal no corpo da mulher.

O problema é sempre resolvido pela operação?

Se a formação tem um tamanho pequeno, ela não toca, mas somente é observada por pelo menos dois anos. Se não houver indicação de crescimento rápido e a mulher não tiver planos de engravidar, os médicos prescrevem a terapia medicamentosa. Drogas do tipo hormonal geralmente ajudam a impedir o crescimento de miomas. Na maioria das vezes, a base da terapia medicamentosa inclui várias drogas hormonais diferentes.

A intervenção cirúrgica é prescrita quando o tamanho da neoplasia atingiu níveis críticos e quando o mioma começa a interferir na vida plena da mulher. Praticamente em 100 por cento dos casos, eles tentam realizar a miomectomia conservadora, ou seja, apenas os nódulos do mioma são removidos, e o útero e outros órgãos são preservados (especialmente este tipo de cirurgia é realizado para mulheres que têm um bebê em seus planos). É importante entender que este método de cirurgia não impede a reexpansão da educação, portanto, pode ser necessário tratamento adicional.

Indicações e contra-indicações para cirurgia

As mulheres são encaminhadas para cirurgia na presença de: o rápido crescimento da educação; tamanho de miomas de acordo com 12 semanas; sangramento uterino; síndrome de dor severa; doenças ginecológicas concomitantes; suspeita de malignidade; alterações no tumor (necrose ou infecção); mioma nas pernas longas; nós no colo do útero; abortos habituais ou infertilidade; violações significativas da funcionalidade de órgãos adjacentes.

Este procedimento é contraindicado em mulheres com uma profundidade da cavidade uterina de mais de doze centímetros, na presença de doenças infecciosas do sistema urogenital. Além disso, entre as contra-indicações deve ser notado: a presença de doenças graves no corpo; a presença de adenocarcinoma; suspeita de leiomiossarcoma ou hiperplasia endometrial.

Preparação antes da cirurgia

Antes de prosseguir com a intervenção cirúrgica, uma mulher é examinada minuciosamente. O ginecologista prescreve: ECG, radiografia de tórax, análise para determinação do fator Rh e grupo sanguíneo, teste de coagulação sanguínea, análise para bioquímica, OAM e OAK. Também são obrigatórios:

  • Ultra-sonografia dos órgãos pélvicos para determinar a localização exata do tumor e seu tamanho;
  • diagnóstico do reto;
  • esfregaço vaginal na flora;
  • exame de sangue para hormônios.

Após um exame minucioso da mulher, com base nos resultados obtidos, o médico pode determinar a causa da doença e o método de como se livrar dela com risco mínimo para a saúde da mulher. Geralmente recorreu à remoção completa do útero - o método mais eficaz de tratamento. No entanto, este método é inclinado se a mulher estiver com 40 anos ou mais.

Miomectomia histeroscópica (histerosectoscópica)

A miomectomia histeroscópica (histerosectoscópica) é uma cirurgia minimamente invasiva que envolve a remoção dos nódulos do mioma através da vagina, sem abrir a cavidade abdominal. É importante entender que este tipo de intervenção cirúrgica é adequado apenas para miomas com um tamanho pequeno e arranjo submucoso. A miomectomia histeroscópica pode ser realizada em nível ambulatorial nos primeiros dias do ciclo menstrual. Como anestesia, é usada anestesia local ou anestesia geral. Este método é utilizado para a localização submucosa de um tumor benigno, metrorragia, menorragia, que contribuem para o desenvolvimento da anemia, bem como nos casos em que o mioma impede o início e a gestação da gravidez.

Na medicina, existem três tipos de miomas submucosos (nós): tipo 0 (o tumor tem uma perna fina), 1 tipo (a educação se projeta para o útero ½), tipo 2 (½ educação está localizada no miométrio). Antes da operação, o médico deve determinar o tipo de neoplasia, sua localização, tamanho, para que você possa pensar a estratégia para outras ações com a máxima precisão.

Benefícios do procedimento

Entre as vantagens que merecem destaque a duração mínima da intervenção cirúrgica; não há necessidade de usar equipamentos especiais para trabalhar em meio líquido; elevado nível de eficácia do procedimento; a ausência de violações do sistema reprodutivo das mulheres após a cirurgia; perda sanguínea mínima; Não há cortes e cicatrizes no abdômen.

Somente este procedimento deve ser realizado por um especialista experiente e altamente profissional, uma vez que durante a operação é possível danificar outros órgãos pélvicos e causar uma série de complicações graves. Para efeito máximo, o procedimento do ginecologista pode ser realizado sob controle ultrassonográfico.

Recuperação após cirurgia

É importante seguir todas as indicações e recomendações do médico após a operação. O período de recuperação dura em média 14 dias. Após a miomectomia histeroscópica no segundo dia, a mulher pode se levantar. Três meses após a cirurgia, é importante evitar cargas pesadas graves, evitar constipação ou diarréia.

É importante monitorar de perto a higiene, evitando a multiplicação de bactérias patogênicas e infecciosas. A gravidez pode ser planejada não antes de seis meses. O parceiro sexual deve ser permanente para evitar a possibilidade de infecções sexualmente transmissíveis. A intimidade sexual é permitida apenas por um médico após um exame e uma declaração da recuperação completa do corpo.

É importante entender que o corpo de cada mulher é especial, e o processo de recuperação para alguns dura duas semanas e, para alguns, levará meses.

Loading...